Pós-graduação

Estudantes de escola privada têm o dobro de chances de entrar na faculdade

Segundo dados do IBGE, alunos de escolas privadas têm 79,2% de entrar na faculdade, enquanto os de pública tem apenas 35,9%.

06/12/2018 - Equipe Cafeina Nerd

Segundo dados da Síntese de Indicadores Sociais, divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (5), alunos de escolas privadas têm, praticamente, o dobro de chances de ingressar no ensino superior, em relação a estudantes de escolas públicas. Tal acesso não está relacionado somente à qualidade do ensino, mas também a questões sociais e econômicas.

Segundo a pesquisa, um aluno oriundo do Ensino Médio privado possui uma chance de 79,2% de ingressar em um curso de educação superior. Quando os analisados são os estudantes de escolas públicas, essa taxa cai para 35,9%. A qualidade do ensino é uma das razões para tal desigualdade. No entanto, a explicação não se limita somente a isso. A renda das famílias também é um empecilho, tanto para que o aluno não tenha poder aquisitivo para entrar no curso, quanto para que ele precise se preocupar com outras questões, como trabalhar, para poder sobreviver.

Sendo assim, o IBGE também detalhou quais são as razões que fazem uma pessoa entre 18 a 29 anos não estudar no ensino superior. Dentr os brasileiros, 52,5% do público masculino não estuda porque está trabalhando ou à procura de um emprego. Já, entre as mulheres, 39,5% não estudam para cuidar de afazeres domésticos.

Desigualdade racial também chama a atenção

O IBGE também analisou a desigualdade racial presente no ensino superior. Contando somente estudantes da rede privada, um branco tem chance de 81,9% de ingressar na faculdade, enquanto um negro/pardo tem 71,6%.

Ainda, o estudo mostra que a proporção de matrículas por cotas no ensino superior triplicou nos últimos 7 anos. O percentual, que em 2009 era de 1,5%, em 2016 foi de 5,2%. No mesmo intervalo, as matrículas através do Prouni foram de 5,7% a 7,3%. O financiamento estudantil também cresceu no setor privado, indo de 26,3% a 52%.

Ensino superior no Brasil é indispensável no mercado de trabalho

No Brasil, é imprescindível ter uma formação no ensino superior para se dar bem no mercado de trabalho. De todos os países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Ecônomico), o Brasil é onde mais vale a pena fazer um curso, visando o mercado, de acordo com a pesquisa do IBGE.

Deixe um comentário