EAD

5 mitos e verdades sobre EAD

Mercado de trabalho tem preconceito com quem faz EAD? Confira este e outros mitos ou verdades sobre educação a distância.

11/10/2018 - Equipe Cafeina Nerd
#EAD #Mitos e verdades

Mesmo com o crescimento gradual da educação a distância (EAD) no Brasil, muitas pessoas continuam com dúvidas e ressalvas quanto a essa modalidade. E tudo bem, isso é normal quando se trata de algo relativamente novo. Agora, estamos aqui para te mostrar a verdade, com números e, assim, você pode tirar suas próprias conclusões sobre o ensino a distância.

Segundo estudos da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), até 2023, o público na modalidade EAD irá superar, em quantidade, o número de pessoas que optam por cursos presenciais, em sala de aula. Este fenômeno não acontece à toa e tem muita relação com a forma como sociedade e, principalmente, o mercado de trabalho passaram a enxergar pessoas que ingressaram em graduações, pós-graduações e MBA’s nesta modalidade.

– O mercado de trabalho não vê com bons olhos (MITO)

É verdade que, antigamente, pode ter havido um certo preconceito com profissionais formados em EAD. Algumas partes do mercado de trabalho não enxergavam que a pessoa havia feito um curso com a mesma qualidade de um presencial. E, talvez, essa qualidade não fosse a mesma, realmente.

No entanto, com o avanço tecnológico e com a entrada de grandes universidades, essa má visão foi extinguida e o grande salto de 37,5% no crescimento da modalidade EAD, entre 2009 e 2013, criou um efeito reverso.

Hoje em dia, recrutadores veem profissionais formados em cursos a distância como responsáveis, pró-ativos e organizados, pois o curso exige muito da pessoa nesse sentido. Portanto, o preconceito que antes havia foi, praticamente, invertido. Isso se deve também ao fato de que muitos desses recrutadores são formados em EAD e sabem, exatamente, como funciona a modalidade. Em suma, preconceito no mercado de trabalho, com certeza, não será visto – até porque o diploma é igual ao de um presencial e o formado só menciona que fez a distância se estiver confortável.

Não há integração entre os estudantes (MITO)

Outro mito. Muitas pessoas acabam associando a modalidade EAD comfalta de integração com os colegas. Mas, não é bem assim. Além dos fóruns constantes para debate de ideias, que farão você, involuntariamente, criar uma rede de contatos, também existem trabalhos em grupo e, claro, os encontros presenciais regulares nos polos de apoio.

Os valores do EAD são mais acessíveis (VERDADE)

Pelo fato do aluno não utilizar as instalações de uma universidade, diariamente, não é justo cobrar dele o mesmo valor que é cobrado de quem cursa presencial. Afinal, este estudante não dá despesas de água, luz e tudo que engloba um extenso espaço físico. Por isso, um curso EAD acaba saindo por preços bem abaixo do que os presenciais, mesmo quando se trata da mesma instituição de ensino.

A qualidade do EAD não é a mesma (MITO)

Toda vez que uma instituição de ensino cria um novo curso a distância no Brasil, ela precisa do aval do Ministério da Educação (MEC), que irá avaliar se todos os requisitos estão sendo cumpridos para assegurar a mesma qualidade de ensino para o estudante. Somente depois disso, ele é ou não aprovado e pode entrar em vigor.

É preciso dizer também que, em muitas ocasiões, o EAD oferece uma qualidade superior ao presencial, já que sua filosofia é baseada na interação, através de vídeos, quizzes, games e fóruns. Isso acaba engajando o aluno e ele aproveita bem mais do que se estivesse cansado, após um dia de trabalho, em uma sala de aula tradicional.

O aluno pode desfrutar do polo de apoio presencial (VERDADE)

O aluno, de um curso EAD, deve ter um polo de apoio presencial próximo de sua residência. Isso serve não somente para que ele possa realizar as provas, mas também para que tire dúvidas com os professores, encontre seus colegas de profissão, use uma biblioteca e assim por diante. Tudo isso está incluso no valor da mensalidade. Basta aproveitar!

Deixe um comentário