O que faz um Ministro da Educação e quem assume o cargo em 2019

Nomeado por Jair Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodríguez irá assumir o cargo de Ministro da Educação a partir de 2019.

03/01/2019 - Equipe Cafeina Nerd
#Educação #Ministro da Educação #Ricardo Vélez Rodríguez

O Ministro da Educação em 2019 será Ricardo Vélez Rodríguez. Ele foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (02). Nascido na Colômbia e mestre em Filosofia na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), ele terá a missão de substituir Rossieli Soares da Silva. Classificado por muitos como de extrema direita, o novo ministro diz ter como objetivo combater o “marxismo cultural” no país.

+ Fez o ENEM e está ansioso pela sua nota? Use nossa calculadora e descubra com antecedência.

O que faz um Ministro da Educação?

O Ministro da Educação é responsável, junto com sua equipe, por organizar o sistema de ensino no país, definindo suas diretrizes e políticas educacionais. Entre as atribuições, a de alinhar e manter o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) são as mais desafiadoras. Nos últimos governos, o orçamento do Ministério da Educação (MEC) foi um dos maiores do país. No entanto, não é certeza de que Bolsonaro irá manter essa verba ou se retrocederá.

+ Na dúvida de qual carreira seguir? Faça nosso teste vocacional.

Quem é o Ministro da Educação a partir de 2019?

“Combateremos o marxismo cultural, hoje presente em instituições de educação básica e superior. Trata-se de uma ideologia materialista alheia aos nossos mais caros valores de patriotismo e de visão religiosa do mundo”. Esse foi o discurso do novo Ministro da Educação de Jair Bolsonaro, Ricardo Vélez Rodríguez. Ele recebeu o cargo no mesmo dia da posse do novo presidente e também já afirmou que o MEC passará a ter uma subsecretaria responsável por iniciativas cívico-militares. Em outro momento já chegou a afirmar que “as crianças gostam de escolas militares” e que pretende aumentá-las.

Formado em “Humanidades” no Instituto Tihámer Tóth, mestre em filosofia pela PUC-RJ e doutor na mesma área pela Universidade Gama Filho (outra localizada no Rio de Janeiro), Ricardo Vélez Rodríguez é professor-emérito da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME). A instituição atua na formação de oficiais de alta patente. Além disso, o colombiano naturalizado brasileiro já atuou no Brasil, na Colômbia, na França e nos Estados Unidos.

Hoje com 75 anos, chegou ao Brasil com 36, fugindo da violência que atingiu seu país. Escreveu alguns livros. Entre eles, “A Grande Mentira. Lula e o Patrimonialismo Petista (2015)”, “Da guerra à pacificação: a escolha colombiana”, “Patrimonialismo e a realidade latino-americana (2006)”

Entre outras opiniões é um dos grandes defensores do golpe militar de 1964. Chama-o de “revolução”. É católico e crítico da Teologia da Libertação. Ademais, defende o movimento “Escola sem Partido” e se manifesta contra o “globalismo politicamente correto”.

Deixe um comentário