5 temas que NÃO devem cair na redação do ENEM

Conheça alguns temas que não devem cair na redação do ENEM devido à partidarização e ao risco de desrespeito aos direitos humanos.

31/10/2018 - Equipe Cafeina Nerd

Conheça 5 temas que não devem cair na redação do ENEM. Vale lembrar: é improvável que eles caiam, mas não impossível.

As recentes polêmicas, que voltaram à tona durante a eleição presidencial de 2018 no Brasil, chegam a quase anular a chance de alguns temas caírem na redação do exame. A justificativa, que os professores de cursinho dão é de que há risco de desrespeito aos direitos humanos, fato que no passado daria nota zero ao aluno e hoje tira 200 possíveis pontos, e também risco de que haja uma partidarização por parte do candidato. Como a ideia do teste é ver o poder de argumentação do aluno e sua visão e formas de solução dos problemas sociais, o ENEM deve descartar estes temas. Até porque o assunto proposto foi determinado há meses.

Então, confira alguns temas que não devem cair na redação do ENEM 2018:

1. Porte de armas de fogo

Desde o ano de 2003, quando houve um plebiscito para se decidir sobre um estatuto do desarmamento, o porte de armas de fogo no Brasil é proibido. Antes disso, o acesso era facilitado e se encontrava o produto em lojas de artigos esportivos, ao lado de varas de pesca e anzóis. Segundo dados do Ministério da Saúde e do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, de 1980 até 2003, as taxas de homicídio subiram em ritmo alarmante, com alta de aproximadamente 8% ao ano. A situação era tão absurda, que no ano de 1996, o bairro Jardim Ângela, em São Paulo, foi considerado pela ONU como o mais violento do planeta, superando até a guerra civil da antiga Iugoslávia. No ano de 1983, o Brasil possuía 14 homicídios a cada 100.000 habitantes. Em 2003, esse número havia quase triplicado, atingindo 36,1. Então, surgiu o Estatuto do Desarmamento, que já salvou mais de 160.000 vidas, segundo cálculos e estudos.

Mesmo com todos esses números, muita gente defende o armamento, como forma de proteção pessoal contra a “bandidagem”, que assola o cidadão comum. Durante a eleição, vários candidatos (muitos militares) defenderam a revogação do estatuto e o assunto voltou à tona. No entanto, o grande problema de se colocar um tema polêmico como esse na redação do ENEM é que haveria grande probabilidade de candidatos despreparados infringirem os direitos humanos e, assim, perderem 200 de mil pontos possíveis ou até mesmo zerar a prova, se o caso fosse grave.

2. Corrupção, lava-jato e afins

A corrupção é um mal que atinge quase todos, ou todos, os partidos brasileiros. Alguns de forma mais aguda, outros de forma mais sutil. A Operação Lava-Jato é um grande exemplo disso e ainda se tem a Lei da Ficha Limpa. No entanto, não é de se esperar que o Ministério da Educação (MEC), que é gerido pelo governo federal, coloque um tema que formaria uma auto-crítica tão contundente assim.

3. Intervenção militar

Após mais de 50 anos do Golpe Militar de 1964, que foi responsável pelos anos mais sombrios da história do país, muitos setores da sociedade pedem um retrocesso e a volta de algo semelhante a uma ditadura. Vimos, recentemente, uma intervenção federal na segurança do estado do Rio de Janeiro, devido ao aumento descontrolado da violência. Na época da implantação, muito foi discutido sobre a efetividade da medida e o que ela poderia gerar para a população.

No entanto, o motivo para não se colocar uma proposta dessa em uma redação nacional é que muitos não conhecem a realidade do Rio de Janeiro e, portanto, isso não seria um tema abrangente a todos os candidatos. Fato que, praticamente, anula as chances de esse ser o tema escolhido.

4. Proposta “Escola sem partido”

A proposta “Escola sem partido” já entrou em discussão algumas vezes no Congresso. Os apoiadores querem barrar qualquer tipo de “doutrinação ideológica” nas escolas brasileiras. No entanto, o grande problema é que isso impediria que muitos assuntos fossem tratados na formação do estudante, como por exemplo a Ditadura Militar, já que alguns partidos não consideram que houve um golpe que arrasou o Brasil por 21 anos, por incrível que pareça.

No caso da redação do ENEM é improvável que o tema seja proposto, pois há forças divergentes, até mesmo políticas, entre o que é doutrinação e o que é formação acadêmica.

5. Legalização da maconha no Brasil

Os diversos usos da maconha, seja recreativo ou medicinal, ainda geram muita polêmica na sociedade brasileira. Argumentos a favor e contra são plausíveis. Em meio a isso, o Uruguai e o Canadá já legalizaram. De qualquer forma, é improvável que o tema caia, pois o tema ainda não está consolidado na sociedade e há muita desinformação.

Confira também quais são os 5 quesitos analisados pelos corretores das provas do ENEM:

Cada redação do ENEM passa pela avaliação de dois corretores. Cada corretor atribui notas de zero a duzentos para cada uma das cinco competências estabelecidas pelo ENEM, totalizando a nota máxima possível de 1000 pontos. As competências avaliadas são:

1. Domínio da língua culta brasileira.
2. Compreensão da proposta da redação e aplicação dos conceitos de várias áreas de conhecimento para o desenvolvimento do tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.
3. Capacidade de selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões, e argumentos em defesa de um ponto de vista.
4. Conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.
5. Elaboração de uma proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Como é definhada a média final?

• A nota total de cada corretor é a soma das notas de cada competência.
• A nota final do participante é a média aritmética das notas dos dois corretores.
• Quando ocorre discrepância entre os dois corretores (notas totais com mais de 100 pontos de diferença ou qualquer uma das notas de competências com diferença superior a 80 pontos), a redação é corrigida de forma independente por um terceiro corretor.
• Caso a nota do terceiro corretor ainda apresente discrepância, a redação será corrigida por uma banca com três avaliadores, que atribuirá a nota final do participante.

Deixe um comentário