5 erros gramaticais comuns nas redações do vestibular

5 erros gramaticais comuns nas redações do vestibular

Conheça 5 erros gramaticais comuns nas redações de vestibulares nos últimos anos e evite-os para não perder pontos cruciais.

12/02/2019 - Equipe Cafeina Nerd
#dicasdeestudo #dicasderedação #gramática #Redação

Há anos atrás…

Apesar de muito utilizada na fala do dia a dia, a expressão “há dez anos atrás” é redundante, um pleonasmo. O ideal é utilizar apenas uma das palavras “há” e “atrás”.

Crase antes de palavras masculinas

O acento indicativo de crase é utilizado quando há uma junção da preposição “a” com o artigo definido “a”em uma frase. A principal dica para saber se você deve ou não empregar a crase é substituir o “a” por “ao” e o substantivo feminino por um equivalente masculino.
Sempre que houver um “a” + uma palavra feminina + uma preposição ou uma conjunção, nesta ordem em uma mesma frase, este “a” deve receber a crase.

Por exemplo:

Eu vou à praia.
Eu vou ao campo.

A crase deve ser empregada sempre que houver uma locução adverbial feminina e indicação de tempo, lugar ou modo.

“Onde” sem ser sentido de lugar

O uso indiscriminado da palavra “onde” é frequente em redações de vestibular. As pessoas utilizam como se ela fosse um coringa para substituir outros relativos. Porém, ela só funciona como adjunto adverbial de lugar. Cuidado!

“Houveram”

Pode até soar esquisito, mas o verbo haver, com sentido de existir, é conjugado somente na 3ª pessoa do singular, independentemente se a frase está no plural ou no singular. Veja abaixo:

  • Houve discussões.
  • Houve mudanças.
  • Houve mortos.
  • Houve reclamações.

Este/esse

Uma das regras mais difíceis é a que envolve “Este”, “esse”, “esta”, “essa”, “isso” e “isto”.

“Este”, “esta” e “isto” indicam proximidade do falante e “esse”, “essa” e “isso” indicam proximidade maior ao destinatário, que recebe a mensagem.

Essa proximidade também pode ser referente ao tempo. Quando se usa “esta” ou “este” indica que será algo em um futuro muito próximo. No caso do “essa” e “esse”, o pronome é relativo ao passado, mas também pode indicar um futuro não tão próximo assim. Confira abaixo:

“Esta noite irei encontrar minha namorada” – futuro próximo.

“Esse ano terminei minha faculdade” – passado.

Para se retomar algo que já foi falado em um discurso, usa-se “esse”, “essa” ou “isso”.

Exemplos:

“O prédio em que eu trabalho sofreu com um incêndio na noite passada e está passando. O corpo de bombeiros trabalha há algum tempo nele. Esse edifício é antigo e esse é um dos motivos…”

“Minha amiga viajou para uma cidade muito legal no interior de São Paulo e gostou muito. Lá ela fez diversas trilhas. Essa amiga estudou comigo durante o Ensino Fundamental.”

Quando é algo inédito ou imediatamente anterior no discurso, emprega-se “este”, “esta” ou “isto”.

INÉDITO: “Este relógio, que está comigo, é muito antigo”

IMEDIATAMENTE ANTERIOR: “Estou na dúvida entre morar no continente europeu ou africanoEste (último, mais próximo = africano) não é tão desenvolvido, apesar das belezas naturais.”

Para ver mais exemplos, clique aqui.

Deixe um comentário